A VIDA É UMA VIAGEM LONGA, COM PARADAS INEVITÁVEIS
GERALDO PEÇANHA DE ALMEIDA – PSICANALISTA

 

Tem muita gente sofrendo por ai, isto é fato, mas este sofrimento das pessoas tem uma causa, e, quase sempre, todas as causas pelas quais as pessoas sofrem não existe, foram apenas criadas por elas mesmas.

O que quero dizer com tudo isto é que a paz é, rigorosamente, uma viagem por diferentes paisagens. Muita gente, porém, quer percorrer o mundo, explorá-lo e dele usufruir sem que a paisagem mude ou simplesmente querem aproveitar o mundo a uma velocidade superior à permitida, sem pausa. Isso não é possível. Experimente viajar um dia inteiro e verá que paisagem e velocidade mudam várias vezes. Isso acontece porque tudo na vida é impermanente, passageiro e mudará, queira-se ou não. Mas não há nada de errado nisso, pelo contrário. Só é possível dizer que a paisagem é linda porque se pode comparar com o que se viu e que não foi tão belo, tão doce, tão harmonioso. Só podemos dizer que uma paisagem é linda se nossa velocidade nessa viagem nos permitir observar ao redor. Correndo demais não se observa nada.

A vida é uma sucessão de coisas, ora boas, ora ruins, mas tudo é vida. Há gente que só espera viver na alegria, na euforia e na festa. E, quando se depara com a dor, a doença, o desemprego ou a falta, muito se desespera querendo sair daquele lugar. Se você não suporta viver uma dor ou uma decepção qualquer, que recurso emocional usará quando uma dor maior atingir seu peito? Devemos e podemos aprender com a dor, com o feio, com o sofrimento, com o desespero, com o decepcionante. Em tudo há aprendizado e há aprendizado que só a tristeza pode ensinar. Viajar é saber usar as diferentes velocidades nos diferentes pontos da estrada e, nesse caso, n a estrada da vida é tudo exatamente assim.

A vida é, de fato, uma estrada. Basta ter calma, manter-se lúcido e sereno que cedo ou tarde você mudará de paisagem e de velocidade e, então, verá o brilho do sol intenso e o quanto as plantações são sublimes quando seus cachos desabrocham. Verá, ainda, que florestas inteiras e lagos quase indescritíveis acalmarão sua rotina e sua visão, e mais que isso, compreenderá que não precisava de todo aquele desespero para fugir do sofrimento, da paisagem feia.

O mais sábio é entender que não é necessário descarregar as malas de viagem nem na estação da tristeza nem na estação da alegria. A vida é uma viagem com múltiplas paradas em diferentes estações, mas não é preciso descer ou ficar em nenhuma delas. Em cada estação, em cada parada pode-se, de fato, observar, deixar ali a parte da bagagem que não serve mais e seguir adiante. O mais belo da vida é manter o desejo de seguir sempre pelo caminho em busca da paz interior. Viver é caminhar. Viver é seguir. Viver é mover-se pelo mundo e nunca descer do trem que nos conduz por dele.

Prof. Dr. Geraldo Peçanha de Almeida é psicanalista pela Sociedade Internacional de Psicanálise de São Paulo. É pedagogo e psicopedagogo pela UNESP-SP. Formando em Letras, Mestre e doutor em  Literária pela Universidade Federal do Paraná e é autor de mais de 70 livros, entre infantis, livros para educadores e livros para pais. Tem trabalhos internacionais na Alemanha, Itália, Áustria e Bolívia. Implantou na África, em Moçambique, um Programa de Leitura e escrita. Fez estudos de aperfeiçoamento em Educação Especial em Cuba, em 2017. Tem 25 anos de experiência em educação de crianças e jovens em todos os Estados do Brasil. Atualmente fundou o Projeto Pólen, em Curitiba no Paraná, do qual se tornou presidente.

Deixe seu Comentário

Seu email está seguro e não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e esses atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

limpar formulárioEnviar